Cotidiano: Jovem negro fica cinco dias preso e tem cabelo raspado após falso reconhecimento

O advogado Vinícius Ribeiro, vice-presidente do Instituto Lisandro, conquistou na justiça a suspensão da prisão preventiva de um jovem negro. Ele foi preso após o falso reconhecimento por uma vítima de roubo.


O jovem de 18 anos foi preso no último dia 20, data de celebração da Consciência Negra. Morador do município de Itaquaquecetuba, na Grande São Paulo, o jovem foi detido durante a ação policial que recuperava uma moto roubada. O veículo estava estacionado na frente ao local onde o jovem trabalhava. Na delegacia, o dono da moto afirmou ter sofrido um assalto horas antes. Na ocasião, ele reconheceu o jovem negro como autor do assalto, além de outros criminosos. A vítima ainda afirmou que o jovem preso era quem portava a arma usada no assalto.


Após a prisão, a mãe do jovem buscou as autoridades na intenção de apresentar os vídeos que comprovariam que o filho era inocente. Nas imagens é possível ver que o jovem estaria trabalhando enquanto ocorria o assalto, mas o vídeo foi ignorado pelas autoridades. Após a prisão ser decretada pelo delegado, o jovem teve seu cabelo raspado e foi encaminhado para o Centro de Detenção Provisória (CDP) de Suzano.


Vinícius Ribeiro, advogado criminalista e vice-presidente do Instituto Lisandro, explica como tomou conhecimento do caso. "Nós estávamos em uma ação do Instituto, falando justamente sobre o Dia da Consciência Negra, quando eu soube do caso na cidade vizinha" explicou o advogado.

Vinícius Ribeiro entrou no caso após saber que a família do jovem não conseguiu mostrar as provas para as autoridades.


Ribeiro afirma que ao analisar o vídeo ficou claro que houve erro no reconhecimento. "Os vídeos comprovam que a moto nunca esteve em posse do jovem. Ele não tem antecedentes criminais e estava no trabalho durante o assalto. A polícia chegou no local com carro descaracterizado, por isso, o jovem correu ao ver os homens armados" afirmou Vinícius.


Na quarta-feira (24/11), após cinco dias detido, a prisão preventiva do jovem foi suspensa pela justiça da Comarca de Itaqua. O juiz acolheu o material apresentado por Vinicius, advogado do jovem.